Reinserção Social

0

“Os Programas de Reinserção devem iniciar-se no momento de iniciar o tratamento e continuar na fase pós tratamento”, UNESCO, 1980

“O Tratamento dos toxicodependentes só termina com a sua reinserção na sociedade”, ONU, 1987

Para o Núcleo de Reinserção do IDT (2003), a Reinserção Social contribui para a eficácia do tratamento, conduzindo à realização pessoal e ao restabelecimento das redes sociais de suporte, no sentido da estabilidade clínica, emocional e social do indivíduo.É o processo através do qual o indivíduo reestrutura a sua personalidade e a sua vida, desenvolvendo competências de autonomia e responsabilidade, capazes de o valorizar enquanto membro útil à sociedade.A Reinserção Social, enquanto intervenção terapêutica, tem que surgir em função de cada indivíduo, pelo conhecimento da sua identidade exclusiva e diferenciada, durante todo o processo de tratamento. O acompanhamento de cada indivíduo conduz ao conhecimento e identificação das suas competências e limitações (como sendo áreas fortes e áreas fracas), passíveis de desenvolver a reconstrução da sua rede de suporte.Para tal, cabe a todos nós, o próprio, a família, a empresa e o meio envolvente, agirmos de forma a proporcionar condições e vivências, adaptadas a cada caso.

O que se apresenta razoável é encontrar um projecto de vida que proporcione ao indivíduo uma acção empenhada, no sentido de restabelecer as suas redes sociais de suporte, conduzindo assim à promoção da auto-estima, ao desenvolvimento de relações estruturantes e à realização pessoal e profissional. Linhas de Intervenção e acções.

A reinserção social de cidadãos com problemas de toxicodependência é uma preocupação de relevo quer na Estratégia Nacional de Luta Contra a Droga, quer no Plano de Acção de Luta Contra a Droga e a Toxicodependência, e decorre de alguns princípios que lhe garantem um lugar fundamental neste processo complexo.

“A Ressocialização previne, de facto, o consumo de drogas, na medida em que contribui para evitar uma “recaída”, quando não mesmo para minimizar a conjuntura social que determinou o início ou o agravamento dos consumos.Em rigor, não há tratamento sem reinserção social, de tal modo o êxito do processo de reinserção – tratamento está intimamente condicionado pela ressocialização familiar e profissional do toxicodependente.

Não pode, pois, tomar-se a ressocialização como etapa posterior ao tratamento, como se fosse possível curar primeiro e só depois reinserir. Bem pelo contrário, a reinserção faz parte do tratamento e este nunca está completo sem ela.” (in Estratégia Nacional de Luta Contra a Droga).

Finalmente, sublinhem-se duas noções fundamentais no contexto desta problemática:

  • a primeira, refere-se à reinserção como parte integrante do tratamento, como já foi dito;
  • a segunda diz respeito à intervenção, que deve ser, simultaneamente, centrada na pessoa e na conjuntura social que facilita os comportamentos problemáticos.

A aquisição de aptidões sociais e pessoais, bem como de competências profissionais, é um meio indispensável para uma reinserção do indivíduo recuperado aos níveis familiar e laboral, que, em última análise, lhe permitirão exercer plenamente os seus deveres e direitos de cidadania.
Politica de Reinserção.


A Reinserção faz a diferença